quinta-feira, 21 de março de 2013

Um trabalho que nunca acaba

Neste momento sinto-me como as capelas inacabados do Mosteiro da Batalha.
Tenho uma quantidade de coisas em mãos, principalmente cá em casa, e não pára de chegar mais qualquer coisa.
Para além das eternas mudanças que ando sempre a fazer em casa, mudar, remodelar, alterar e afins passei esta semana entre catálogos e encomendas de tintas.
O projeto carpete arrefeceu um pouco porque o marido nunca tem estado em casa e ele é o Comandante daquele navio.
Tenho partes de móveis montados espalhados pelo pedaço à espera que venha o resto e se possa reorganizar tudo nos novos lugares.
Estão marcadas férias para ir comprar novas cortinas e roupas de cama, tralha para a cozinha e, dada a gentileza do marido, candeeiros novos para a cozinha (conseguiu hoje partir os  2 ).
Ando de volta dos novos brinquedos para os gatos, tudo o que ali está  vai desaparecer misteriosamente (lixo), as luvas sem dedos já estão começadas e hoje vieram trazer-me mais um trabalho de grande dimensões digno de mais uma picadelas nos dedos.

Amigas, vou andar a coser um destes em feltro nos próximos tempos...


Sem comentários: